Braçada

Semana passada fui, mais uma vez, tentar pegar uma onda com meu amigo Reinaldo Gorjão. Ele já estava na praia do Morro das Pedras, em Florianópolis, e eu cheguei depois. O dia estava lindo, um perfeito dia do verão bem no final do inverno, coisas da ilha. A ondulação estava entrando de Leste em um vento terral que deixava o mar lindo.

https://nandomus.files.wordpress.com/2011/08/img_6011.jpg?w=300Depois de uma longa temporada da Tainha por aqui, estava realmente animado para cair na água, mesmo sabendo de minhas condições físicas de sedentário. Fui até o meio da praia, alonguei e cai na água. Até aí, tudo lindo. Se não fosse o repucho que estava forte na beira do mar, e logo me levou para o costão, e minha braçada não foi suficiente para vencer a rebentação.

Fiz mais algumas tentativas, e sem sucesso, saí da água já cançado, tonto, enjoado e sem conseguir exercitar o meu surf, só os braços mesmo. Bem coisa de novato. Mas, não saí fora. Fiquei por ali, pensando na vida e refletindo sobre como a vida é parecida com aquilo que eu tinha vivido naquele instante.

Nossos sonhos, objetivos e desejos estão muitas vezes bem na nossa frente. Tudo parece tão fácil. Mas, o que os olhos não veem é o que está por baixo da água, as tribulações, a força do mar, puxando contra. Percebi que para alcançar os meus sonhos não basta querer, é preciso estar preparado, treinado, com os braços fortes e condicionados para remar ao horizonte. Pois, a onda não quebra no raso.

Pois é Reinaldo, não rendeu um surf, mas rendeu um som, para que sempre eu me lembre de como são as coisas na real.

Curtam aí o novo som, feito em 20/08/2011, “Braçada

Braçada

Os olhos não veem,
A mente está lá
A braçada que sente
Contra a corrente
A força do mar

Tem que ter braço para entrar
A onda bloqueia a vontade. No fundo dão as costas porque muda o olhar
Parece ser tão fácil atravessar
Mas por baixo da água uma força carrega para as pedras os sonhos, vontades e desejos de surfar

Hoje fico olhando com os braços cançados
Por enquanto eu fico cantando, olhando, rezando e remando, remando, remando… Porque..

Fernando Lauro Pereira (2o/08/2011)

Anúncios